repudio

Associação comercial de Ribeirão Preto lamenta Lockdown na cidade

Nota da ACIRP afirma que números agravantes da pandemia mostram a incapacidade do poder público em fiscalizar e conter aglomerações
Por: Redação Franca Noticia | Categoria: Brasil | 24-05-2021 22:03 | 170
Foto de

Associação Comercial de Ribeirão Preto divulgou uma nota na noite de segunda-feira (24), repudiando a determinação da administração municipal em decretar um novo Lockdown na cidade. Leia nota na íntegra. 

A Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto (ACIRP) lamenta profundamente o ‘novo lockdown’ anunciado pelo poder público municipal nesta segunda-feira (24/05).

Mais uma vez os números agravantes da pandemia mostram a incapacidade do poder público em fiscalizar e conter aglomerações e irregularidades.

A desarticulação entre municípios, estados e União cobra seu preço com a ausência de políticas de apoio econômico, a falta de vacinas, o visível aumento do trânsito de pessoas entre as cidades e a baixa adesão da população aos protocolos sanitários. Lamentavelmente, mais uma vez, setores de comércio e serviços vão sofrer as consequências da nova e altamente restritiva medida.

Seguimos reivindicando ações urgentes do poder público para que estes setores, que mais geram empregos e renda para o município, possam funcionar com segurança, garantindo sua sobrevivência no mercado, além de estratégias de atuação a médio e longo prazos.

A ACIRP tem pleiteado insistentemente junto à administração municipal um plano de retomada que apoie os segmentos mais prejudicados e a implementação de medidas de suporte financeiro que incluam suspensão da cobrança de impostos, isenção de taxas e a elaboração de um programa de refinanciamento de dívidas (Refis).

Desde o início da crise sanitária, a ACIRP vem cumprindo com seu papel responsável e educativo de conscientização do setor produtivo e da sociedade em geral.

A entidade está atenta e preocupada com o avanço da pandemia e suas consequências e reforça a todos a necessidade de que os protocolos sanitários e de higiene sejam seguidos de forma salvar vidas.