na contra mão

Com vacina da Covid atrasada, vereadora volta a falar sobre chip e castração obrigatória de animais

Cidade esta com calendário de vacinação da Covid atrasada e assunto não esta na pauta da Câmara Municipal
Por: Redação Franca Noticia | Categoria: Política | 09-04-2021 18:07 | 279
Foto de

Em meio a pandemia, onde Franca esta com o calendário de vacinação atrasada, devido a não entrega de novos lotes de imunizantes, a sessão da Câmara Municipal de Franca estará na próxima semana, discutindo, de novo, o assunto de implantação de chips em animais e a obrigatoriedade da castração de filhotes comprados ou adotados. 

Os projetos são da da vereadora Lindsay Cardoso (Cidadania), que afirmou que a castração deve ser realizada após compra ou adoção, de animais adultos em até seis meses e a de filhotes até os seus dois anos de vida. Além disso, proíbe a venda de animais que não possuem microchip implantado: trata-se de um dispositivo eletrônico que contém dados tanto do criador quanto do comprador.

“A microchipagem é mais uma segurança para o animal que é vendido. Se ele for parar em via pública, conseguiremos identificar tanto o criador quanto o comprador. Também precisamos castrar os animais que possuem tutores, porque os bichos param na rua e se multiplicam. O tutor precisa ter consciência de que, quando compra ou adota um animal, este tem que ser castrado. Não tem sentido um protetor retirar um animal da rua e doar para alguém que não tenha condições. Quem não pode castrar irá vacinar ou levar a um veterinário se o animal ficar doente? Precisamos de adoção responsável. Protetores responsáveis já fazem isso. Caso o tutor não queira castrar seu animal ou se este tiver algum tipo de problema de saúde, ele pode solicitar um atestado de exclusão assinado por veterinário”.